21 abril, 2008

Apenas Uma Vez (Once)




Filmes independentes tem a vantagem de não precisarem seguir algumas das regras básicas que muitos dos grandes estúdios exigem. Em Apenas Uma Vez, a talvez mais prosaica das regras é quebradas, mas, numa comprovação de que talento e envolvimento podem deixar as regras de lado, passamos boa parte do filme sem perceber. A história se passa em Dublin, a famosa cidade irlandesa, e envolve música e romance. E é isso que vemos o tempo todo na tela, na câmera digital sem tripé do diretor John Carney.

Ele não é conhecido, como também não o são seus atores. É verdade que, para alguns cinéfilos, há a sensação de já ter visto o músico/ator Glen Hansard antes. Seu outro filme é o mais ou menos conhecido The Commitments - que no Brasil recebeu o subtítulo de Loucos Pela Fama - de Alan Parker. Já Markéta Irglová está em sua primeira produção. Em comum, o fato de que os dois são músicos - e a exemplo do filme de Parker, todos que aparecem tocando instrumentos no filme são músicos de fato. Mas são também bons atores. Bons o suficiente para nos transmitir muito bem a tensão do romance que há entre eles quase desde o começo.

As ruas pitorescas de Dublin e a excelente música - composta por Hansard, uma delas ganhadora do Oscar de Melhor Canção - são o pano de fundo perfeito para a história urbana do casal. A fotografia que abusa das limitações da câmera digital pinta belamente a tela. Com todas as características da produção independente - o filme foi realizado em 17 dias, e custou a "bagatela" de 150 mil dólares - ele infelizmente não chegará a todos. Uma pena. Para quem ficou curioso sobre a regra básica quebrada aqui, e não vai ter a chance de conferir, pasmem: os personagens principais não possuem nomes. Tudo entre eles é dito com música.

2 comentários:

LULETY disse...

ammeeii esse filme!!!

Nina disse...

Cara!!!!!!!!! Vi este filme ontem e não tinha percebido que as personagens não tem nome!!!!!!!!!! Simplesmente LINDO! A dose certa entre delicadeza e doçura no mundo real.