14 junho, 2008

Fim dos Tempos (The Happening)




Péssima tradução do título, daquelas que praticamente estragam todo o suspense cuidadosamente preparado pelo autor. Dito isso, vamos à crítica.

Há 10 anos o mundo agraciou um cineasta novo, que nos apresentou uma interessante história que fica entre o terror e o suspense, muito bem trabalhada, com um roteiro excelente. Desde então, ele vem sendo criticado por não ser capaz de manter a qualidade. O que na verdade é um bocado injusto. Sexto Sentido é ótimo, mas Corpo Fechado é ainda melhor. O penúltimo filme de M. Night Shyamalan, A Dama na Água, é também fantástico, não importa o que outros críticos digam. Na opinião deste, a qualidade do indiano radicado nos Estados Unidos nunca caiu.

Shyamalan filma com um estilo próprio. Não gosta de várias das fórmulas hollywoodianas, e faz várias coisas que desagradam os grandes estúdios, como roteiros inteligentes. Poucos cineastas sabem manipular as emoções dos espectadores como ele - o que combina com a declaração um pouco fora de hora que fez quando se comparou a Hitchcock. Fim dos Tempos não é o melhor filme dele - até porque ele está abrindo mão de vários dos próprios conceitos para agradar a platéia, tudo por conta da injustiça feita à A Dama na Água.

Uma das características do diretor é não escolher grandes estrelas. Quando filmou Sexto Sentido, Bruce Willis não estava no melhor ponto da carreira, e o mesmo com Joaquim Phoenix em A Vila. Em Fim dos Tempos temos Mark Wahlberg e Jon Leguizamo, uma estrela menor e um excelente ator pouco aproveitado, além Zooey Deschanel, um talento ainda por ser descoberto. Shyamalan também não tira excelentes performances dos seus atores - a qualidade do então pequeno Haley Joel Osment foi mérito próprio. Outra característica é que sempre há crianças envolvidas na parte principal da trama. A jovem Ashley Sanchez faz apenas uma figuração mais frequente - o que provavelmente foi um dos pontos em que o diretor abriu mão das suas preferências.

Verdade seja dita, a maioria do público não deve gostar de Fim dos Tempos. Mesmo os admiradores de Shyamalan podem ficar um tanto desapontados. Mas isso não quer dizer que é um filme ruim. Pelo contrário. Quase todo filmado de dia e e cenas externas - muito bonitas por sinal - sem fantasmas, monstros, ETs, e sem mostrar diretamente a maioria das mortes, o filme nos deixa com aquela tensão típica dos bons suspenses o tempo todo, grudados na poltrona. Ou seja, mesmo fazendo concessões, ele sabe o que faz.

2 comentários:

Nuno Beato disse...

Sera qe vai continuar... é que não ha desfecho

Tiago Mota disse...

Acredito que não, Nuno. Na verdade, há um desfecho sim, lembre-se do que o entrevistador comenta com o cientista numa das cenas finais - não posso falar muito aqui para não estragar a surpresa de quem não assistiu ainda.
Além disso, o Shyamalan não é de fazer filmes com continuação.